• Believe You

Pesquisa mostra onde os homens pisam na bola com a saúde

Atualizado: 11 de Nov de 2019


Estudo revela como a ala masculina lida com o bem-estar físico e mental e de que forma encara ameaças, como doenças cardiovasculares e câncer de próstata.

No Brasil, quase 40% dos homens até 39 anos e 20% daqueles com mais de 40 só vão ao médico quando se sentem mal. Boa parte deles não tem ideia de como anda o coração nem faz exames cardiológicos. E pelo menos um terço enxerga no bem-estar mental o principal desafio para ter mais saúde hoje.

Eis o panorama da pesquisa Um Novo Olhar para a Saúde do Homem, feita pela revista SAÚDE, realizado via internet com 2.405 brasileiros de todas as regiões do país, o levantamento foi discutido no último Fórum SAÚDE, em São Paulo.

A dificuldade de aderir a um estilo de vida equilibrado e a falta da devida atenção em relação à prevenção cardiovascular são alguns dos achados preocupantes. Sobretudo porque quase metade dos homens do estudo está acima do peso e parcela considerável declara ter hipertensão (39%) e colesterol alto (43%). Embora eles estejam cientes dos principais fatores de risco e sintomas de problemas cardíacos, só 39% expressam que procurariam imediatamente o médico diante de sinais como dor no peito.

O preço da consulta e a falta de disponibilidade nos postos de saúde são os principais obstáculos apontados nesse sentido. O drama é que praticamente um quarto da amostra assume substituir com certa frequência uma consulta médica por buscas na internet.

No dia a dia, alguns hábitos realmente deixam a desejar. Quase 80% do público relata exceder-se regularmente em açúcar, sal ou gordura. E só 35% se exercita pelo menos três vezes por semana, como recomenda a Organização Mundial da Saúde. “A falta de percepção sobre a própria saúde, em especial por parte dos homens, decorre do desconhecimento, de achar que engordar e ficar estressado faz parte da rotina”, observou o médico Fernando Costa, diretor da Sociedade Brasileira de Cardiologia e debatedor do fórum.

Se não quebrarmos essa visão, alerta Costa, tudo conspira para o aumento estimado de 250% no número de mortes por doença cardiovascular nos próximos 20 anos.

Segundo Haydée Padilla, médica representante da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e também debatedora no evento, para mudar esse cenário é preciso que as estratégias de prevenção sejam dirigidas a conscientizar melhor a população masculina desde a adolescência. “Só assim teremos idosos funcionais e ativos”, afirmou.

Mas não é só o corpo que demanda cuidado. Um dos diagnósticos mais chocantes da pesquisa é o fardo psicológico. “Estar bem emocionalmente” foi considerado o principal desafio para ter uma rotina saudável.

Em 95% dos participantes experimentaram sentimentos negativos nos últimos tempos. São expressivas as queixas de ansiedade (63% do público) e depressão (23%). “Isso se deve, entre outros motivos, à necessidade cada vez maior de empenho no trabalho, com menos oportunidades. Sem contar a chamada modernidade líquida, em que tudo parece provisório e sem compromisso, e o aumento da sensação de solidão”, analisou a médica e debatedora Carmita Abdo, presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria.

“Cuidar da saúde mental ainda é um estigma, sobretudo para o homem. Mas os dados mostram que os mais jovens começam a se preocupar com as emoções”, ponderou.


25 visualizações

Conheça nossa política para compra de produtos na internet - Clique Aqui

Saiba mais sobre a nossa política de acesso - Clique Aqui

SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA.
Todas as informações contidas neste site têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas ao tratamento de pacientes devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características particulares de cada pessoa.

Farmacêutica responsável: Dra. Joicy Kelli Lima  CRF/TO  688 | Global medicamentos Importação e exportação EIRELI CNPJ 19.970.265/0003-02 | 
ATENÇÃO OS MEDICAMENTOS VENDIDOS SÃO DE ALTO CUSTO POR ISSO TEMPO DE ENTREGA PODE VARIAR DE 5 A 10 DIAS UTEIS DE ACORDO COM A DISPOSIÇÃO DO ESTOQUE DOS FABRICANTES E DISTRIBUIDORES

©2019 by Fast Medicamentos - DEMANDA JUDICIAIS. - DESENVOLVIDO POR AGENCIA DE VENDAS